A privatização e os novos períodos de investimento

1999–Presente

Em meados de 1999, é lançado o concurso público para a privatização da Fapajal, já transformada em sociedade anónima e despojada da Quinta da Abelheira. O concurso é ganho por um grupo de acionistas privados nacionais, com muita experiência na indústria, fruto da anterior atividade de administração no Grupo Inapa e no Grupo Papelaria Fernandes. Os novos proprietários empreendem grandes projetos de investimento, em parte apoiados pelo PEDIP – Programa Estrutural para o Desenvolvimento da Indústria Portuguesa. No decorrer de 2016, um conjunto de investidores nacionais adquire a Fapajal aos seus antigos proprietários, empenhados em modernizar as infraestruturas e os processos da empresa, bem como em alargar a sua atuação a novos produtos, segmentos e geografias. Hoje, ainda no seguimento da acertada estratégia dos anteriores proprietários da Fapajal, a empresa transforma uma crescente fatia do papel produzido em produto acabado, destinado aos mercados institucional e da restauração (away-from-home) e doméstico (at-home).